Inicial

Revisão para a prova – todas as escolas

Deixe um comentário

Olá Pessoal! Conforme prometido, ta aí o material de revisão para a nossa prova que será nessa sexta feira, 29 de junho. É só clicar no link correspondente a sua série do seu colégio. Peço por gentileza que divulguem nas suas respectivas turmas. Bons estudos!

Colégio Estadual Amaro cavalcanti – 1a serie – revisão

Colégio Estadual Amaro cavalcanti – 1a serie – Teste gabaritado

Colégio Estadual Pedro Alvares cabral – 2a serie – revisão

Colégio Estadual Pedro Alvares Cabral – 2a serie – Teste gabaritado

Colégio Estadual Pedro Alvares Cabral – 1a serie – revisão

Colégio Estadual Pedro Alvares Cabral  1a série – Exercícios de escala resolvidos

Colégio Estadual Gonçalves Dias – 3a serie – revisão

Colégio Estadual Gonçalves Dias – 1a série – revisão

Anúncios

[CEAC – 1o e 2o ano] guia de estudos para recuperação

Deixe um comentário

Pessoal do Amaro que ficou em recuperação no quarto bimestre (primeiro e segundo ano): segue abaixo um guia de estudos com os principais temas que serão cobrados e os capítulos do livro referentes a cada um deles. E não se esqueça de estudar também pelo caderno.

A prova será discursiva e sem consulta, com dez questões, as quais você deverá escolher cinco para responder.

 

Para o Primeiro Ano

1o Bimestre: Cartografia e representação do espaço (capítulo 2)

O que estudar: exercícios de escala

2o Bimestre: Dinâmica da atmosfera (capítulos 7 e 8)

O que estudar: diferença entre tempo e clima; fatores climáticos (latitude, altitude); interpretação de climogramas; massas de ar no Brasil

3o Bimestre: Formação da Terra e Relevo (capítulos 5, 6 e 8)

O que estudar: teorias da Deriva Continental e Tectônica de Placas; Os agentes modeladores do relevo (agentes internos e externos); Intemperismo físico e químico

4o Bimestre: Dinâmica ambiental (capítulo 10)

O que estudar: meio ambiente e sociedade de consumo; Efeito estufa; Chuva ácida

 

Para o Segundo ano

1o bimestre: Mundo contemporâneo e Globalização 

O que estudar: Keynesianismo X Neoliberalismo

2o bimestre: Espaço Urbano (capítulos 8 e 9)

O que estudar: conceitos de Megalópole, Região Metropolitana, Conurbação, Megacidades e Cidades Globais; Especulação imobiliária e segregação socioespacial

3o bimestre: Espaço Agrário (capítulos 4 e 5) 

O que estudar: sistemas agrícolas; Revolução Verde; reforma agrária e agronegócio

4o bimestre: Dinâmica da População (capítulos 6 e 7)

O que estudar: teorias demográficas (Malthusiana, Neomalthusiana e Reformista); Interpretação de pirâmides etárias; Quedas nas taxas de natalidade e mortalidade e seus impactos socioeconômicos.

[CEAC – 1o e 2o ano] recuperação do terceiro bimestre

Deixe um comentário

Responda as questões abaixo da prova da sua série.

Envie somente por email ( danielcpacheco@yahoo.com.br ) até o dia 27 de setembro 

Não esqueça de indicar o nome completo e a turma no corpo do email

Não serão aceitos trabalhos enviados após o prazo.

Observação: a prova deve ser feita individualmente. Provas idênticas de mais de um aluno receberam nota 0 (zero).

 

Prova do primeiro ano

Valor da prova: 5 (cinco) pontos

1 (um) ponto por questão

 

1) Diferencie rochas ígneas de rochas sedimentares e rochas metamóficas. Explique resumidamente o ciclo das rochas. Dê exemplos de rochas de cada um dos três tipos.

2) Diferencie movimentos orogenéticos de epirogenéticos. Dê exemplos de paisagens formadas por cada um deles.

3)  Dentre os agentes modeladores do relevo terrestre, podemos afirmar que a ação humana é o principal agente exógeno. Justifique essa afirmativa e indique um exemplo prático de como a ação antrópica modifica o relevo terrestre.

4) Sobre a classificação do relevo brasileiro, aponte as principais diferenças entre as classificações de Aroldo de Azevedo, Aziz Ab’saber e Jurandir Ross.

5) Sobre a geologia brasileira, que fatores naturais podem explicar a abundância de ocorrência de recursos minerais, como ouro, ferro, cobre e petróleo? Justifique sua resposta com base na noção de estrutura geológica.

 

Prova do segundo ano

Valor da prova: 5 (cinco) pontos

1 (um) ponto por questão

 

Notícia 1

 Soja: Mercado em Chicago inicia semana com leves altas e atento ao clima no Brasil nesta 2ª feira

Os futuros da soja, nesta segunda-feira (18), dão início à semana atuando em campo positivo na Bolsa de Chicago. As cotações subiam entre 2,50 e 3 pontos nos principais vencimentos, com o novembro/17 sendo cotado a US$ 9,71 e o maio/18, referência para a safra brasileira, valendo US$ 9,98 por bushel.

Fonte: https://www.noticiasagricolas.com.br/noticias/soja/198939-soja-mercado-em-chicago-inicia-semana-com-leves-altas-e-atento-ao-clima-no-brasil-nesta-2-feira.html

Notícia 2

Confronto entre MST e polícia deixa mortos e feridos no sudoeste do PR

Um confronto entre integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST) e policiais militares ambientais em um acampamento em Quedas do Iguaçu, no sudoeste do Paraná, deixou ao menos duas pessoas mortas. De acordo com a Polícia Militar (PM), seis pessoas ficaram feridas. O confronto aconteceu nesta quinta-feira (7).

Fonte: http://g1.globo.com/pr/oeste-sudoeste/noticia/2016/04/confronto-entre-mst-e-policia-deixa-mortos-e-feridos-no-sudoeste-do-pr.html

1) Indique qual das duas notícias acima se refere, respectivamente, a Questão Agrícola e Questão Agrária. Justifique sua resposta.

Texto I

A nossa luta é pela democratização da propriedade da terra, cada vez mais concentrada em nosso país. Cerca de 1% de todos os proprietários controla 46% das terras. Fazemos pressão por meio da ocupação de latifúndios improdutivos e grandes propriedades, que não cumprem a função social, como determina a Constituição de 1988. Também ocupamos as fazendas que têm origem na grilagem de terras públicas.

Disponível em: http://www.mst.org.br. Acesso em: 25 ago. 2011 (adaptado).

Texto II

O pequeno proprietário rural é igual a um pequeno proprietário de loja: quanto menor o negócio mais difícil de manter, pois tem de ser produtivo e os encargos são difíceis de arcar. Sou a favor de propriedades produtivas e sustentáveis e que gerem empregos. Apoiar uma empresa produtiva que gere emprego é muito mais barato e gera muito mais do que apoiar a reforma agrária.

LESSA, C. Disponível em: http://www.observadorpolítico.org.br. Acesso em: 25 ago. 2011 (adaptado).

2) Os fragmentos acima contemplam opiniões opostas sobre a reforma agrária no Brasil. Quais são os principais argumentos utilizados por cada um dos lados? Qual a sua opinião sobre o assunto? Defenda o seu posicionamento.

3) Aponte as principais características da agricultura moderna, também chamada de agroindústria

4) O que foi a Revolução Verde? Em que época surgiu? Quais foram os seus impactos no Meio ambiente e na vida do pequeno produtor rural?

5) Você participou da apresentação do seminário na sua turma? Indique o tema do seu grupo e discorra resumidamente sobre o assunto. Em caso de resposta negativa, justifique sua ausência. Faça uma breve avaliação crítica sobre as apresentações que você assistiu e o que aprendeu com elas.

 

[CEAC – 1o ano] Revisão para a prova

Deixe um comentário

 

Clique em “ver o post original” para acessar toda a revisão. Bons estudos.

Professor Daniel - Geografia

I – Camadas da Terra

O desenho esqumático a seguir faz uma comparação entre a estrutura interna da Terra e um ovo

camadas-terra-ovo

1 – Núcleo: Equivale à gema do ovo. Composto basicamente de níquel e ferro, o núcleo divide-se em duas camadas: núcleo interno e núcleo externo. O núcleo interno apresenta-se em estado sólido e o externo, no estado líquido. As temperaturas nessa camada variam de 3000 °C a 5000 °C e a densidade, de 9 a 14.

2- Manto: Equivalente à clara do ovo, o manto está situado entre a crosta e o núcleo. Sua espessura é de aproximadamente 2,9 mil quilômetros, sendo a densidade média de 4,6. O manto pode ser encontrado nos estados pastoso e sólido. Sua composição básica é de silicato de ferro, magnésio e silício. A temperatura pode atingir até 2000 °C.

3- Crosta: Seria o equivalente à casca da Terra. Considerada a camada mais superficial do…

Ver o post original 1.211 mais palavras

[CEAC – 1o ano] tutorial para elaboração de climograma no excel / aula sobre climas em power point

1 Comentário

Segue abaixo uma vídeo-aula para auxiliar os alunos que estão com dificuldades com o trabalho de construção de climogramas.  Aproveito e disponibilizo também os slides da aula que tivemos na sala de vídeo.

 

[CEAC – 1o e 2o ano] trabalho de recuperação, segunda chamada

Deixe um comentário

Os alunos que atingiram grau inferior a 5 (cinco) pontos no primeiro bimestre devem fazer a recuperação paralela, que será dividida em duas etapas:

Trabalho de pesquisa com valor de 5 pontos;

Uma prova discursiva com valor de 5 pontos (sem consulta) com previsão para maio.

A nota da recuperação substitui a nota do bimestre, caso seja superior.

Alunos que atingirem grau igual ou superior a 5 (cinco) pontos com o trabalho de pesquisa estão dispensados da prova.

Temas para pesquisa:

Para o primeiro ano: História da Cartografia

Para o segundo ano: A atualidade do pensamento de Milton Santos

Normas para elaboração dos trabalhos:

  • trabalho entregue manuscrito ou em fonte arial 12
  • mínimo de três e máximo de cinco folhas
  • Pode ser enriquecido com figuras (mapas, fotos, etc)
  • Necessário que contenha bibliografia (mínimo de três fontes diferentes) – clique aqui para ver como se faz bibliografia
  • Capas, encadernação: opcional

Data de entrega:

Pessoalmente nos dias 24 ou 26 de abril (segunda ou quarta) 

por e-mail (danielcpacheco@yahoo.com.br) até o dia 26 de abril

Segunda Chamada: dia 24 de abril 

Somente com atestado

Prova discursiva. Favor levar uma folha de papel almaço.

[CEAC-1o ano] Cartografia – Material Multimídia

Deixe um comentário

Conforme prometido, ta aí o material visto na aula da sala de vídeo, e mais um conteúdo extra pra vocês estudarem pra prova. Abraços e até a próxima.

 

 

 

 

Clique aqui  para ler o texto “O Mapa-Mundi – A mentira a que já nos habituamos”, publicado pelo site Portugal Mundial.

Site com mapas antigos e raros do mundo todo, também vale a pena ver.

Visite também o site Materiais didáticos para cartografia escolar

[CEAC – 1o ano] Tutorial para elaboração de climograma no Excel

Deixe um comentário

Essa vídeo-aula é para auxiliar os alunos que estão com dificuldades com o trabalho de construção de climogramas. Conteúdo destinado aos alunos das turmas 1001, 1002, 1003 e 1006 do C.E Amaro Cavalcanti.

[CEAC – 1o ano] Gabaritos: Prova, teste, recuperação – terceiro bimestre

Deixe um comentário

Gabarito das provas

Prova 1 – turmas 1001 e 1002 

1) A

2) E

3) D

4) A

5) B

6) C

7) B

8) C

9) D

10) E

Prova 2 – turmas 1003 e 1004

1) C

2) A

3) E

4) D

5) D

6) E

7) A

8) B

9) C

10) B

Prova 3 – turmas 1005 e 1006

1) A

2) D

3) E

4) B

5) A

6) B

7) C

8) D

9) E

10) C

Gabarito do Teste

1) C

2) A

3) a) A Litosfera é dividida em fragmentos rochosos denominados Placas tectônicas, que estão em constante movimento devido às correntes de convecção do Manto.

b) Quatro entre os fenômenos:

  • Terremotos
  • Tsunamis
  • Vulcanismo
  • Formação de montanhas como os Andes e o Himalaia
  • Separação dos continentes
  • Formação do Oceano Atlântico
  • Formação de Ilhas vulcânicas
  • Falhas tectònicas

4) O Japão apresenta níveis econômicos, tecnológicos e educacionais elevados e possui mecanismos de prevenção e minimização de danos causados pela instabilidade física da área que ocupa. O Haiti, ao contrário, é um país social e economicamente fragilizado, com elevados índices de pobreza e baixos índices educacionais, sem condições de investir em prevenção e minimização dos efeitos de catástrofes naturais. Isso explica porque o abalo sísmico no Japão, mesmo tendo sido de maior magnitude, teve um número de vítimas muito menor que o do ocorrido no Haiti.

Gabarito da recuperação paralela

Página 106

3) Há 250 milhões de anos o movimento de placas tectônicas resultou na divisão da Laurásia, que separou a América do Norte da Eurásia (Europa e Ásia) e originou o Atlântico Norte. Mais tarde, a divisão do Gondwana seprou a América do Sul da África e originou o Atlântico Sul.

4) O encaixe perfeito dos continentes é um indício de essas terras estavam unidas. Com o movimento das placas tectônicas, os continentes foram separados.

página 121 – Leitura complementar

A prevenção em áreas povoadas sujeitas a abalos sísmicos mais fortes promove a capacidade de ação dessas populações em caso de catástrofes. Há exemplos de condições muito distintas nesse sentido, por exemplo nos terremotos ocorridos no Haiti (2010) e no Japão (2011).

página 129

1) As bacias sedimentares são formadas pelo a partir do preenchimento de depressões por detritos provenientes das áreas circunjacentes.

2) Agentes internos: tectonismo (orgênese e epirogênese); abalos sísimos; vulcanismo. Agentes externos: intemperismo (físico e químico), ação da água, dos ventos e das geleiras; ação antrópica.

3) Erosão eólica é a esagregação de rochas e e o transporte de sedimentos causado pela ação dos ventos, dando origem a formas típicas (como as Dunas). Erosão fluvial é o trabalho contínuo e espontâneo dos rios, causando destruição próximo à nascente e deposição próximo à foz. Os Cânions são exemplo de erosão fluvial. A erosão pluvial é causada pelas chuvas, de acordo com a sua frequência e intensidade; as ravinas são um exemplo de erosão pluvial. A erosão glacial é causada pela ação das geleiras, cavando vales em forma de “U”. Estes são invadidos pelas águas oceânicas, dando origem aos fiordes.

página 193

1) Entre os fatores preponderantes para a ocorrência de movimentos de massa: a inclinação do terreno; o embasamento cristalino recoberto por solos de pouca profundiade; e as características climáticas, com chuvas sequencias e intensas no verão. Nessas condições, a construção de moradias implica riscos tanto em áreas elevadas quanto nas mais baixas.

2)  a) A plataforma Sul-Americana, a Patagônia e os dobramentos modernos que cosntituem a Cordilheira dos Andes.

b) Não há possibilidade de ocorrência de atividade vulcânica e de terremotos, já que o território brasileiro se encontra contido na plataforma Sul-Americana, distante da zona de entrechoque de placas tectônicas.

3) Na Era Proterozóica, ocorreu no Brasil intensa atividade tectônica, da qual resultaram sistemas de dobramentos e vastas extensões de rochas metamórficas. No embasamento cristalino decorrente desse processo, encontram-se grandes jazidas de minerais metálicos, principalmente ferro e manganês.

4) Os planaltos são superfícies irregulares ou aplainadas, onde o processo de erosão supera o de deposição de sedimentos. As planícies são superfícies planas onde há o predomínio de processos de sedimentação. As Depressões são superfícies que sofreram processo erosivo mais intenso e por isso possuem altitudes abaixo das áreas ao redor.

[CEAC – 1o ano] Revisão para a prova

Deixe um comentário

I – Camadas da Terra

O desenho esqumático a seguir faz uma comparação entre a estrutura interna da Terra e um ovo

camadas-terra-ovo

 

1 – Núcleo: Equivale à gema do ovo. Composto basicamente de níquel e ferro, o núcleo divide-se em duas camadas: núcleo interno e núcleo externo. O núcleo interno apresenta-se em estado sólido e o externo, no estado líquido. As temperaturas nessa camada variam de 3000 °C a 5000 °C e a densidade, de 9 a 14.

2- Manto: Equivalente à clara do ovo, o manto está situado entre a crosta e o núcleo. Sua espessura é de aproximadamente 2,9 mil quilômetros, sendo a densidade média de 4,6. O manto pode ser encontrado nos estados pastoso e sólido. Sua composição básica é de silicato de ferro, magnésio e silício. A temperatura pode atingir até 2000 °C.

3- Crosta: Seria o equivalente à casca da Terra. Considerada a camada mais superficial do planeta, a crosta apresenta espessura que varia de 30 Km a 70 Km. Ela é composta por basalto (nos oceanos) e, na porção continental, sua composição básica é de granito. A densidade média é de 2,8 e a temperatura varia entre 800 °C a 1000 °C.

Fonte: adaptado de Escola Kids

 

II – Teorias da Deriva Continental e Tectônica de placas

A Teoria da Deriva Continental foi postulada inicialmente pelo cientista alemão Alfred Lothar Wegener, em 1912. Segundo este autor a Terra teria sido formada inicialmente por um único e enorme supercontinente chamado Pangeia, que foi se fragmentando e se deslocando continuamente desde o período Mesozóico, há cerca de 200 milhões de anos.

A Teoria da Tectônica de Placas foi enunciada em meados do século XX, quando cientistas confirmaram a hipótese da expansão dos assoalhos oceânicos por meio do uso de sonares. Chegou-se a conclusão de que a camada mais externa da Terra, a Litosfera, é constituída de imensos blocos que estão em constante movimento, sendo “empurrados” pelas correntes de convecção do Magma.

 

III – Tectonismo e movimento de placas

Movimento divergente

placadivergent_ani

Afastamento de placas. Causa, entre outros fenômenos, a formação do oceano atlântico e a separação dos continentes.

 

Movimento Convergente

placaconvergent_ani

Colisão de placas. Dá origem a grandes cadeias de montanhas, como os Andes o Himalaia, também chamadas de Dobramentos Modernos (Ver item IV ).

 

Movimento Conservativo ou transformante

placatransform_ani

Deslizamento lateral de placas. Origina deformações de relevo, como a Falha de San Andreas, na Califórnia.

IV – Classificação de rochas

A litosfera, a camada superficial e sólida da Terra, é composta por rochas, que, por sua vez, são formadas pela união natural entre os diferentes minerais. Assim, em razão do caráter dinâmico da superfície, através de processos como o tectonismo, o intemperismo, a erosão e muitos outros, existe uma infinidade de tipos de rochas.

Dessa forma, foram elaborados vários tipos de classificação das rochas. A forma mais conhecida concebe-as a partir de sua origem, isto é, a partir do processo que resultou na formação dos seus diferentes tipos.

Nessa divisão, existem três tipos principais: as rochas ígneas ou magmáticas, as rochas metamórficas e as rochas sedimentares.

1) Rochas ígneas ou magmáticas: são aquelas que se originam a partir da solidificação do magma ou da lava vulcânica. Elas costumam apresentar uma maior resistência e subtipos geologicamente recentes e de formações antigas. Elas dividem-se em dois tipos:

1.1) Rochas ígneas extrusivas ou vulcânicas: são aquelas que surgem a partir do resfriamento do magma expelido em forma de lava por vulcões, formando a rocha na superfície e em áreas oceânicas. Como nesse processo a formação da rocha é rápida, ela apresenta características diferentes das rochas intrusivas. Um exemplo é o basalto.

1.2) Rochas ígneas intrusivas ou plutônicas: são aquelas que se formam no interior da Terra, geralmente nas zonas de encontro entre a astenosfera e a litosfera, em um processo constitutivo mais longo. Elas surgem na superfície somente através de afloramentos, que se formam graças ao movimento das placas tectônicas, como ocorre com a constituição das montanhas. Exemplo: gabro.

2) Rochas metamórficas: são as rochas que surgem a partir de outros tipos de rochas previamente existentes (rochas-mãe) sem que essas se decomponham durante o processo, que é chamado de metamorfismo. Quando a rocha original é transportada para outro ponto da litosfera que apresenta temperatura e pressão diferentes do seu local de origem, ela altera as suas propriedades mineralógicas, transformando-se em rochas metamórficas. Exemplo: mármore.
3) Rochas sedimentares: são rochas que se originam a partir do acúmulo de sedimentos, que são partículas de rochas. Uma rocha preexistente sofre com as ações dos agentes externos ou exógenos de transformação do relevo, desgastando-se e segmentando-se em inúmeras partículas (meteorização); em seguida, esse material (pó, argila, etc.) é transportado pela água e pelos ventos para outras áreas, onde se acumulam e, a uma certa pressão, unem-se e solidificam-se novamente (diagênese), formando novas rochas.

Esse tipo de constituição rochosa, em certos casos, favorece a preservação de fósseis, que, por esse motivo, só podem ser encontrados em rochas sedimentares. Além disso, nas chamadas bacias sedimentares, é possível a existência de petróleo, recurso mineral muito importante para a sociedade contemporânea. Exemplo: calcário.

Fonte: Mundo Educação

V – Estrutura Geológica 

A estrutura geológica é a classificação da litosfera terrestre conforme as suas diferentes origens e as composições de suas rochas. Assim, todo o relevo terrestre foi dividido a partir de seus três principais tipos. xistem três tipos principais de estruturas geológicas: os escudos cristalinos, as bacias sedimentares e os dobramentos modernos.

Os escudos cristalinos são formações geológicas consideradas antigas, formadas nas primeiras eras geológicas do planeta, durante a sua formação. São compostos por rochas ígneas, ou magmáticas, e metamórficas, apresentando uma elevada quantidade de grandezas minerais (como o ouro, o ferro, o alumínio e muitos outros). São áreas geologicamente estáveis, ou seja, com poucos terremotos e vulcanismos, costumando dar origens a regiões de planaltos.

As bacias sedimentares são composições rochosas formadas a partir de extensas e inúmeras camadas de rochas sedimentares, que surgiram a partir da deposição de sedimentos ao longo das eras. São as mais extensas das estruturas geológicas, recobrindo cerca de 70% do relevo terrestre. São importantes por apresentarem, dependendo das condições locais, uma grande quantidade de fósseis e até petróleo.

Por fim, os dobramentos modernos são formações geológicas consideradas recentes, cujo início ocorreu na era Cenozoica, no período Terciário (há cerca de 250 milhões de anos). São resultantes das ações do tectonismo, geralmente do choque ou conflito entre duas placas tectônicas. Essas formações são originárias das grandes cadeias de montanhas da Terra, como a Cordilheiras dos Andes (América do Sul) e a Cordilheira do Himalaia (Ásia), onde se encontra a montanha mais elevada do planeta, o Everest.

Fonte: adaptado de Mundo Educação

 

VI – Formação do Relevo 

O relevo terrestre pode ser definido como as formas da superfície do planeta. O relevo origina-se e transforma-se sob a interferência de dois tipos de agentes:
-Os agentes internos (endógenos) atuam de dentro para fora, deformando o relevo: Terremotos, vulcanismo e tectonismo;  
-Os agentes externos (exógenos) atuam na superfície, modelando o relevo: intemperismo, erosão e a antropicidade (o fator humano).
O Intemperismo pode ser definido como o conjunto de processos físicos e químicos que causam o desgaste a a desagregação dos minerais e rochas que compõem a superfície terrestre. Quando há transporte de material desagregado ocorre a erosão. A erosão, portanto, consiste em três processos: Desgaste da rocha, transporte e deposição (sedimentação)    
Fonte: adaptado de Suburbano Digital
VI – Relevo Brasileiro 
O território brasileiro apresenta uma grande variedade de formas e feições geomorfológicas, incluindo morros, serras, planaltos, chapadas, planícies e depressões. Sua estrutura geológica é composta basicamente de escudos cristalinos bastante antigos e bacias sedimentares. Não há dobramentos modernos, tendo em vista que o país não está sujeito a movimentos tectônicos de grande porte. Essas características podem ser percebidas pelo predomínio de altitudes baixas, raramente ultrapassando 1.000 m (observe o mapa abaixo)
Mapa Brasil altimetria
Os planaltos são superfícies irregulares ou aplainadas, onde o processo de erosão supera o de deposição de sedimentos.

As planícies são superfícies planas onde há o predomínio de processos de sedimentação.  

As Depressões são superfícies que sofreram processo erosivo mais intenso e por isso possuem altitudes abaixo das áreas ao redor.

 

 

Older Entries